Howdy!

Em primeiro lugar, peço desculpas por este review não ter saído no dia prometido. Tive alguns problemas de tempo e problemas no PC aqui também. MAS agora que tudo está resolvido, vamos ao que interessa.

Avatar é um filme inesquecível. Só isso pode resumir a experiência (sim, experiência) que é ver este filme no cinema. James Cameron criou um filme tão rico que é até difícil saber por onde começar a falar, então, vamos ao caminho óbvio.

O visual. Os efeitos em CG do filme são de um realismo que eu jamais tinha visto antes no cinema. Mesmo assistindo em um cinema normal aqui em Jundiaí, o visual do filme é alucinante, tanto as poucas tomadas no espaço, quando o céu de Pandora, uma das paisagens mais belas do cinema. A performance dos Na’vi é convincente ao extremo. Eles não parecem artificiais em nenhum momento do filme, seus olhos são expressivos e suas emoções e sentimentos são palpáveis, criando assim uma identificação com o espectador.

A trama, como muitas criticas tem apontado, guarda semelhanças com várias obras como Dança com Lobos, Pocahontas, A Missão, além dos textos de Edgar Rice Burroughs (criador de John Carter of Mars).  Mas isso é um ponto positivo para o filme, pois Cameron mistura os elementos certos de cada uma dessas histórias para contar a história que ele quer contar.

Aqui a trama se passa no século XXII. Jake Sully é um fuzileiro paralítico que é chamado para participar do programa Avatar,  substituindo seu falecido irmão gêmeo. Ele vai trabalhar na lua de Pandora, a 4 anos-luz da Terra, que é habitada pelos Na’vi, criaturas azuis e esguias com 3m de altura . Pelo ar de Pandora ser venenoso aos humanos, Jake e a equipe de cientistas irão projetar suas consciências em corpos Na’vi geneticamente alterados. O cel. Quaritch ordena que Jake se infiltre na cultura dos Na’vi para lhes passar informações, já que a empresa SecFor está interessada nos recursos naturais de Pandora, mas Jake acaba se encantando com Pandora, com os Na’vi, e com Neytiri. Isso pode ser o suficiente para desencandear um terrível massacre em cima dos Na’vi que vivem pacificamente em Pandora.

Sam Worthington se firma como um novo nome no cinema ao interpretar o fuzileiro Jake Sully. Sua atuação é cheia de sutilezas interessantes até mesmo na captura de movimentos, sendo seu melhor momento no filme quando ele se vê no corpo de um Na’vi e podendo andar pela primeira vez. Ele também entrega uma ótima performance nas cenas de ação, mostrando ser um ator bem esforçado cujo futuro no cinema parece brilhante.

Zöe Saldana tem a missão mais complicada do filme, por ser a única protagonista a não mostrar seu rosto original. Mas sua Neytiri é uma criatura fascinante. É uma típica mulher dos filmes de Cameron:  guerreira, forte, decidida, mas é também amorosa, dedicada e apaixonada. Sua personagem é apaixonante, e quando ela sofre ao ver as atrocidades dos humanos, o público fica comovido por suas lágrimas (que eu poderia jurar que são reais).

O resto do elenco também não deixa a desejar. Sigourney Weaver, Michelle Rodriguez, Joel David Moore, Giovanni Ribisi, Wes Studi e CCH Pounder mostram todo o seu talento na tela com os seus personagens, ao mesmo tempo em que Stephen Lang cria um Cel. Quaritch memorável, daqueles vilões  que adoramos odiar.

Em resumo, Avatar é um filme que será muito comentado daqui para a frente. Os críticos e cinéfilos que torciam o nariz para o filme antes mesmo de seu lançamento, agora se admiram em ver o quanto estavam errados. Cameron volta com um épico inesquecível, que merece ser visto muitas vezes no cinema, e no futuro, em DVD e Blu-Ray.

Bom pessoal. Eis aí a minha opinião sobre Avatar. Não sou crítico de cinema, portanto perdoem quaisquer falhas no texto =D…E mais uma vez perdoem o meu atraso.

Vida Longa e Próspera \\//

(Leo e Kell, quero ver reviews seus também hein!!! hahaha brincadeera).

Texto escrito por Gu Valente.