Have at you!

Agora que você já sabe o básico pra começar a jogar RPG deve estar se perguntando: Qual sistema devo escolher? E essa é realmente uma pergunta dificil de se responder sem conhecer a fundo os sistemas disponiveis, mas é pra isso que eu estou aqui, com essa série de posts que começa hoje pretendo mostrar um pouco de cada um dos sistemas de jogo (daqueles que conheço a fundo) para que você possa decidir em qual livro investir o seu rico dinheirinho. E pra começar, nada melhor do que o meu sistema favorito: Storyteller.

O sistema storyteller (publicado pela editora White Wolf) já é um sistema meio ultrapassado, afinal de contas sua nova versão (agora chamada Storytelling) está no mercado a alguns anos e vem se provando muito melhor que a antiga, sendo assim o que chama a atenção para esse sistema não são as regras em si, mas o mundo de jogo o chamado Mundo das Trevas, onde vampiros, lobisomens, magos, fadas, múmias, demonios e mortais vivem em constante conflito lutando pela supremacia em suas áreas e para evitar eventos catastróficos que eles sabem que pairam sobre suas cabeças.

O sistema é bem simples, baseado na distribuição de pontos por habilidades pré determinadas, cada ponto (ou bolinha como preferir) conta como um dado nas roladas para aquela habilidade. As roladas (ou paradas de dados como são chamadas nesse sistema) são feitas sempre utilizando um atributo + uma habilidade, somam-se os pontos e é rolado um D10 para cada ponto, a dificuldade (número que deve ser atingido nos dados para que seja considerado sucesso) e o numero de sucessos são determinados pelo mestre. A principio pode parecer meio complicado, mais vamos a um exemplo:

“Fulano quer dar um belo soco na cara do brutamontes que está folgando com o grupo, ele deverá rolar Destreza + Briga (atributo + habilidade) para saber se acerta ou não. Ele tem 3 em destreza, pois é um rapaz atlético, porém tem apenas 1 ponto em briga, afinal de contas um Advogado não tem muito tempo para ficar brigando por ai, ele então deverá rolar 4 dados contra uma dificuldade de 6 e o mestre define que se ele conseguir 3 sucessos ele irá acertar. Ele rola os dados tendo como resultado 4,6,3,7. Dois sucessos, ele erra o soco e agora vai ter que lidar com as consequências.

O sistema parece bem simples e consegue lidar muito bem com as mais variadas situações. Com o tempo e a experiência, o mestre consegue gerar as paradas de dados da melhor maneira possível, dando a agilidade necessária aos jogos. É sem dúvida, um excelente sistema de jogo, bem completo e com uma gama imensa de cenários e tipos de campanhas (aventuras). Um dos sistemas que pode gerar as histórias mais épicas e mais hilárias. Espero ter conseguido passar o básico do sistema, porém qualquer dúvida, sugestão ou crítica fiquem à vontade para usar os comentarios e fazer valer a opinião de vocês. Quanto aos cenários do Mundo da Trevas,  isso é assunto pra um outra coluna…

Drugue tem certeza  que “By becoming a monster, one learns what it is to be human”!