A busca por seres não-terrestres faz as pessoas terem aspectos de como seria a vida fora da Terra e, de fazerem a mesma pergunta toda vez: ‘Existe vida além da nossa?’ Casos verídicos podem ser comprovados por depoimentos das pessoas? Ou isso é apenas um truque para atrair a atenção para lugares desconhecidos? Relatar um imaginário afirmando aquilo como real faz daquilo ser verdade?

Assim é o filme Contatos de 4ª Grau. Com uma maneira bem documental de apresentar a história, o espectador é levado até uma cidade no Alasca, onde eventos sobrenaturais começam a aparecer para pessoas diferentes, destacados como ‘coincidência’, pela psicóloga Abigail Tyler – papel de uma Milla Jovovich mais humana do que em Resident Evil. E é neste ponto que o filme fica interessante.

O diretor Olatunde Osunsanmi não quis apenas gravar seu filme com personagens e fazer dele, um filme de ficção. Ele aproveita a ‘moda Distrito 9’ para separar a tela do cinema em duas e mostrar a verdadeira gravação das hipnoses, intercalando os diálogos da psicóloga. Isto é, nos momentos de tensão, o diretor revela as sessões feitas pela Dra. Abigail (à esquerda) – com suas imagens de arquivo – e reproduz as cenas que gravou com Milla (à direita), deixando o espectador ainda mais grudado na poltrona.

Enredo – o filme conta a história da Dra. Abigail Tyler e sua vida na cidade de Nome, no Alasca. Como psicóloga, ela começa a receber pacientes que viram uma coruja branca na janela do quarto e sonham toda vez com uma movimentação e imagens distorcidas. O marido de Abigail também era psicólogo e morreu anos antes em um acidente – não comprovado – de carro. Ambos trabalhavam juntos e faziam uma pesquisa sobre abduções pela região. Quando as coincidências aparecem, a doutora começa a ligar fatos que comprovam os seres ‘fora da Terra’ e investiga os fenômenos com sessões de hipnose nos pacientes.

Um a um é examinado e todos surtam no consultório: tem ataque de pânico, tem medo e as consequências virão com o tempo. Duas das cenas mais impressionantes do filme acontecem após tais sessões hipnóticas e, cá entre nós, é de meter medo em qualquer um (exemplo: cena dos reféns e cena do vigia na casa). Aliás, qualquer cena que se diz: ‘gravação real na data tal, local tal’ durante o filme é assustadora, mas nada supera a cena da única hipnose fora do consultório, em um paciente em crise.

Realidade do irreal – sites na internet divergem entre onde estão os casos verídicos de Nome e os do filme, assim como detalham o que houve com a Dra. Abigail nos filmes e a suposta humana verdadeira. SE você não liga para a ‘história por trás da história’ e gosta de um filme que te prenda na cadeira, com uma história firme de ‘começo-meio-fim’: Contatos de 4º Grau está dentro desse tema. Deixe de lado, as supostas conspirações e assista como qualquer outro filme pipoca, esperando uma diversão garantida. Bom, não posso chamar de diversão um filme que prende você na cadeira, sem se mexer, com detalhes e aparições sobre abdução, mas para quem gosta é recomendado.

Leo Luz vê luzes estranhas no céu toda noite