Have at you!

Em que mundo maluco uma mãe deixaria seu filho de 10 anos sair de casa para vagabundear, correndo atrás de monstros que podem matá-lo? Digo ainda mais, em que mundo isso seria considerado normal? Bom, se você não estava fora do planeta Terra pelos últimos 10 anos, provavelmente já sabe que esse mundo é o de Pokémon. A série animada popularizou vários produtos desses monstrinhos e como o assunto aqui são jogos, o que mais nos interessa é o fantástico Pokémon Trading Card Game, ou simplesmente, Pokémon TCG.

Lançado em 1999 pela Wizards of the Coast, Pokémon TCG foi uma verdadeira febre por onde passou, com uma mecânica simples, se comparado com Magic ou Illuminati. Ele conseguiu conquistar pessoas de todas as idades e tirá-las de casa para jogar os famosos campeonatos sancionados, pouco diferentes dos de Magic (que não eram temáticos). Neles, você era um treinador atrás das insígnias dos líderes de ginásio e, para isso, jogava contra os oponentes que estavam presentes, em busca de sonhados 500 pontos – ao atingir essa meta, você realmente ganhava uma insígnia e, a partir daí, você deveria enfrentar o Desafio do Líder, que consistia em vencer 10 batalhas (não necessariamente consecutivas), respeitando certas regras especiais: como não utilizar cartas de Treinadores ou ter apenas uma cópia de cada carta no baralho.

Pokémon TCG em suas versões mais antigas (as únicas que eu cheguei a jogar, sorry!) possuía basicamente 3 tipos de cartas: as cartas de Pokémon que simbolizavam os monstrinhos em si, as cartas de Treinador que eram cartas que alteravam o jogo de alguma forma, seja fazendo comprar mais cartas, pegar cartas da sua pilha de descarte ou até mesmo curar seu pokémon e as cartas de energia, que devem ser colocadas nos Pokémon para ativar seus ataques. As batalhas acontecem sempre 1 contra 1 e você pode ter até 5 pokémons no chamado banco, que nada mais era do que Pokémon que já estavam na mesa se preparando para entrar em combate, caso o que estava lutando fosse derrotado ou estivesse fraco demais e o treinador escolhesse por recuá-la.

Vencia a luta quem conseguisse comprar os 6 “prêmios”, cartas removidas de seu baralho aleatoriamente antes do ínicio da partida. Um prêmio podia ser comprado sempre que um Pokémon do oponente fosse derrotado. As batalhas normalmente eram curtas e a estratégia nem sempre era um fator determinante. Pokémon TCG é um ótimo jogo, mesmo hoje em dia com muitas novas mecânicas e cartas que complicam um pouco sua jogabilidade e pode facilmente ser ensinado pra pessoas de todas as idades.

Seu apelo maior vem do fato de que o anime tem uma base de fãs incrível e tais fãs são fervorosos a ponto de comprar os baralhos apenas para guardar. Sinto falta ainda hoje das tardes passadas dentro da Liga, lutando para conseguir meus 500 pontos e sair todo feliz com minha insígnia. Não sei se os campeonatos ainda são dessa forma, mas de qualquer maneira Pokémon é um jogo obrigatório para fãs do anime e um ótimo jogo para colecionadores, pelo cuidado com o qual seus componentes é feito. Sem duvidas é diversão garantida, principalmente para ser jogado com outros fãs!

Drugue ainda vai ter todas as 8 insígnias para enfrentar a Elite dos 4