Have at you!

Muitos dizem que se um dia houve algum tipo de honra na guerra, ela acabou com o final dos impérios e a chegada da pólvora, o que eu particularmente discordo. Se lembrarmos dos emocionantes Dogfights (combates aéreos em que os pilotos ficam a poucos metros um do outro) da 1ª Grande Guerra, iremos lembrar de histórias fabulósas, onde pilotos com a batalha ganha – simplesmente abandonaram o posto – pois, seu adversário estava com a arma emperrada. Esse estilo de combete aéreo, além de honrado é um dos mais estratégicos e muito do combate pode ser decidido em uma manobra errada. Algo assim tão estratégico tinha que dar um bom wargame certo? Certo! E esse wargame é Crimson Skies.

Crimson Skies foi lançado em 2003 pela WizKids – a famosa produtora de Mage Knight e diversos outros jogos da série Clix. O jogo é pouco colecionável por ser vendido em Blisters pré construídos, sendo eles os Squadron Packs – pacotes com 4 aeronaves de um mesmo esquedrão – e os Ace Pack – pacotes com duas aeronaves especiais e seus respectivos pilotos. No entanto, os pacotes tinham o conteúdo visível e fixo, ou seja, sempre que alguém comprar o Squadron Pack da Red Skull Legion vai receber as mesmas 4 miniaturas. Como dito acima, por ser da Wizkids o jogo conta com o clássico sistema Clix, que consiste em discos numerados que ficam embaixo da miniatura e permitem mudar as suas características durante o jogo, normalmente ao sofrer dano.

Crimson Skies possui duas modalidades de jogo: o modo Aces trata das lutas dos grandes pilotos e líderes de esquadrões, porém em solo, ele é bem clássico nesse ponto, tendo mapas, número de movimento e tudo mais que faz todos os demais miniature games tão famosos. A diferença é que por possuir poucos Aces, o jogo traz algumas fichas que seriam miniaturas fracas para o combate. Tais fichas simbolizam outros membros do esquadrão, como guarda-costas, bêbados e demais transeuntes que podem se envolver na briga. O mais divertido nesse ponto é a criação de cenários, onde as fichas abrem a possibilidade de criar toda uma história diferente para cada combate, inserindo assim elementos que os tornem mais ou menos dificil.

Esses cenários podem variar desde uma briga de bar, onde dois Aces enfrentam vários bebados, até situações complicados como, um Ace e outro membro de seu esquadrão (uma ficha) tentando roubar um colar de uma influente dama da sociedade protegida por vários guarda-costas e alguns valentões de plantão. Confesso que ainda não joguei pra valer essa modalidade, mas me pareceu muito interessante e, principalmente, cheio de possibilidades. Assim que criar um cenário e jogá-lo, faço uma resenha mais clara. Para próxima semana, aguardem a verdadeira emoção dos dogfights na continuação desse post sobre Crimson Skies, agora falando sobre Air Action.

Drugue sempre quis participar de uma boa briga de bar #not