“Oh, is good to be back!”

Como um belo anfitrião de festa, Tony Stark chegou atrasado à coluna do Action Nerds sobre seu próprio filme. Talvez nós conseguimos um encaixe rápido, ou talvez a grande procura me fez escrever sobre um dos melhores filmes de super-herói do mundo, até mesmo de Batman – The Dark Knight. Homem de Ferro foi o primeiro filme que a Marvel colocou os dois pés no chão e disse: ‘precisamos fazer disso, algo inacreditável’, e em 2008, lançou o filme que melhor se encaixa no termo adaptação de quadrinhos após derrotas como Homem Aranha 3, Demolidor, Elektra, etc. Mas um filme só não conta história e um segundo deveria ser feito para dizer ao cinema que com pessoas certas se faz filmes certos.

Robert Downey Jr. – de pessoa esquecida para galã de filmes, Robert teve a carreira jogada numa lata de ferro e abraçou com prazer o primeiro filme. Neste segundo, ele incorpora um personagem mais arrogante e cheio de si, que se vê perdendo a vida para um projeto instalado no seu peito. Para os fãs das HQs, essa fase do herói é chamada “Demônio na Garrafa”, onde Tony se entrega ao alcoolismo e perde todo o sentido de viver pela companhia de seu pai, e decide fazer dele mesmo sua própria lei, até o combate pré-final do filme.

Gwyneth Paltrow – o coração que falta no ‘Latinha’ vem da atriz, sendo um braço direito, esquerdo e a cabeça pensante das Indústrias Stark. Sem ela, Tony já teria perdido tudo e por causa dela, Tony volta a si, eliminando o “Dêmonio” dentro dele. Com um destaque maior no segundo filme, Gwyneth transforma Pepper Pots, a garota indefesa  – exemplo da Mary Jane, em Homem Aranha – em uma mulher decidida e com iniciativa em prol do filme. É ela que está dentro do carro na primeira batalha do filme, mas em nenhum momento é para ser salva. Ela está se arriscando ali para salvar o chefe, e Tony sabe disso.

Don Cheadle – no primeiro filme, Terrence Howard fez um ótimo comandante James Rhodes, mas posso dizer que ele não faria um ótimo Máquina de Combate. A troca de elenco seguiu de rumores e encontraram Don Cheadle no meio do tiroteio, colocando-o numa fria maior ainda: ‘como superar o ator e ainda disputar com o Homem de Ferro uma chance na tela?’. Respondo rápido: com um poder destrutível igual, um míssel e uma metralhadora nos ombros.

Mickey Rourke – com grandes heróis vem grandes vilões e este não é diferente. Whiplash é a persona do mal, do ‘corra por sua vida’, da risada maléfica do trailer, do olhar destruidor e de chicotes elétricos que destroem armaduras. Mas que, em minha opinião, foi pouco explorado dentro do filme com cenas curtas, poucos diálogos e pouca ação. Para um vencedor de Globo de Ouro, eu esperava um destaque a mais.

Elenco – faço uma menção honrosa para Scarlett Johansson como Natasha Romanoff – a Viúva Negra, Sam Rockwell no papel de Justin Hammer – inimigo público de Tony Stark, Samuel Jackson e seu Nick Fury/SHIELD, além do próprio Jon Favreau nas cenas de comédia.

Por fim eu digo, Homem de Ferro vale cada centavo gasto na produção, assim como a Marvel está de parabéns por colocar um filme de qualidade, história e elenco acima da média para nós vermos. Esperei muito para ver filmes desse nível nos cinemas e fico em êxtase só de pensar que virão: Thor, em 2011, Capitão América e Os Vingadores, em 2012 e Homem de Ferro 3, em 2013.

NOTA: 10 + 4 (créditos finais)

Leo Luz duvida que a Marvel fará um filme do Homem Formiga.