Hoje começaremos uma nova coluna aqui no Action Nerds: a Classics – que por um acaso, estou devendo ao público gamer já faz um tempinho. De qualquer forma, tentarei me redimir por deixar vocês esperando tanto tempo, e espero que gostem. Se gostarem, nos deixe um comentário, ou quem sabe um e-mail! Ok? ;-D

Como a maioria sabe, sempre fui fissurada por essa parte tecnológica, e desde que ingressei nesse fantástico mundo, acho que experimentei todos os tipos de jogos. Não vou dizer que joguei de tudo, até porque minha condição financeira não permitia (e ainda não permite!) tal coisa. Mas eu vou tentando, na medida do possível…

Podem me xingar, ou o que for. Sempre ouvia falar do conhecido game Portal, desenvolvido pela Valve Corporation, e me era recomendado por todos, desde o podcast NowLoading (que Deus o tenha, e que um dia ele volte) até por amigos, mas nunca tive o prazer de jogá-lo. Isso, até algumas semanas atrás.

Confesso: fiquei completamente perdida nos primeiros 20 minutos de jogo. Eu nunca tinha jogado nada parecido na vida e depois de algum tempo, meu cérebro começar a pensar igual a um ‘fugitivo de laboratório com uma arma que abre portais’. Consegui finalmente ver algum nexo naquela história louca.

O jogo com gráficos extremamente simples e comandos que qualquer macaco consegue usar, exige mais do que sua atenção. Concentração e raciocínio lógico são as peças chaves – e fundamentais – para conseguir passar por seus 19 estágios de laboratório.

Sem contar sua história, sendo aclamada como uma das mais originais em 2007 (ano em que o jogo foi lançado), consiste em puzzles que você terá que solucionar usando a Portal Gun(essa arma estilosa na foto acima). Usando esta arma, a personagem Chell é desafiada por uma AI – sigla de Inteligência Artificial – denominada GLaDOS, com a promessa de lhe dar um bolo como recompensa por passar cada fase.

De começo eu não fiquei muito empolgada, e acho que essa é a reação de quase todo mundo. Recomendo para todas as pessoas, pois o jogo é incrivelmente bom e surpreendente, apesar de ser curto, é capaz de proporcionar horas de raiva, por não conseguir passar certas fases, e uma satisfação fora do normal depois de conseguir. Além do final de deixar qualquer um de boca aberta e ansioso por abrir mais portais.

Kell quer um cubo de estimação e acha que em Portal 2, GLaDOS estará mais ‘ALIVE’ do que nunca.