Depois de ter assistido a Trilogia Bourne e Busca Implacável, eu tinha certeza de que seria impossível inventarem mais um filme excelente de espionagem/perseguição. Tinha certeza, de que Matt Damon e Liam Neeson, já tinham mostrado todo o potencial desse tipo de filme. Até que eu ouvir falar de Salt.

Depois de 10 anos sem trabalharem juntos, o diretor e a atriz de Colecionador de Ossos se reencontraram. Angelina Jolie aceitou o papel principal no filme de Phillip Noyce, e embarca numa trama de ação e espionagem que deixaria qualquer Bond Girl de queixo caído.

Sinopse: Em um dia qualquer de trabalho, um desertor soviético é capturado pela CIA, alegando que haverá um atentado em Nova York e, ninguém menos que Salt irá entrevistá-lo. Ele fala que um espião russo, mais conhecido como KA-12, e até então, uma lenda nos EUA, será o atirador do atentado. O nome desse espião: Evelyn Salt. É então que começa uma jornada interminável e uma corrida contra o tempo para a personagem provar sua inocência e encontrar seu marido que está desaparecido.

Os atores: Não preciso falar muito de Angelina Jolie, interpretando Salt. Esbanjando sensualidade até quando está sem maquiagem, consegue por a prova todo o seu potencial adquirido já em Tomb Raider. Temos também no elenco Liev Schreiber (mais conhecido como o mutante Dentes de Sabre, no filme do Wolverine) fazendo o amigo de trabalho Ted Winter. Chiwetel Ejiofor (de 2012), como Peabody, um agente que trabalha para Winter e é orientado por Salt; além de Daniel Olbrychski, como o russo Orlov.

O filme tem sim, elementos muito clichês, como qualquer bom filme de ação. Claro que já entrei no cinema com esse pensamento… apesar de haver inúmeros filmes desse gênero, gostei muito da história que se desenvolve com a protagonista. Em todo o momento você realmente se pergunta: ‘Quem é Salt? O que ela quer de verdade?’; e a cada minuto você deduz alguma coisa.

Durante o filme, Leo e eu levantamos muitas hipóteses, quase acertamos… quase! E no final de tudo, o filme não revela simplesmente quem é aquela mulher, mas sim lhe dá dicas do por quê está acontecendo tudo aquilo, e nos faz pensar ainda mais. Nos últimos segundos, temos a impressão de que se o filme obtiver um retorno bom, haverá continuações, o que na verdade eu não sei se seria ruim ou não. Salt é praticamente um filme batido, mas convenhamos: Angelina Jolie faz toda a diferença naquela tela!

Kell teve que aguentar piadinhas cretinas de Leo Luz o filme inteiro sobre ‘salt.