Tag Archive: Tim Burton


Cinema News [30/01 a 05/02]

Hooray!

Logo no dia seguinte do meu Cinema News de semana passada, os caras me anunciam que contrataram o novo Superman! Dá pra acreditar nisso? Quase que eu coloquei um update na notícia anterior, mas deixei pra colocar na coluna de hoje. E vi que fiz bem, pois a semana foi bem escassa de notícias interessantes de verdade. Selecionei as mais fodonas e joguei aqui pra vocês.

Estão preparados??


Continue lendo

Anúncios

[review] Alice no País das Maravilhas

Howdy!

No último fim de semana fui conferir (em 2D mesmo) o novo trabalho do cineasta Tim Burton, o tal “Alice no País das Maravilhas”. Apesar de ser um filme cheio de falhas, ele entretem bastante e vale o ingresso.

A trama do filme mostra Alice (Mia Wasikowska) com 19 anos e prestes a se casar com um jovem lorde inglês – que causa a Alice, na pior das hipóteses, indiferença. Mas quando ela vê um estranho coelho branco (voz de Michael Sheen) com um relógio no meio dos arbustos, ela decide seguí-lo e vai parar mais uma vez, no País das Maravilhas, que na verdade é conhecido como Mundo Subterrâneo (Underland). Lá, Alice descobre que os habitantes estão oprimidos pelo domínio da Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter) e, para poder acabar com isso, Alice terá que matar o dragão Jaguadarte, no dia Frabulento, com a Espada Vorpal.

Ela também contará com aliados importantes como o Chapeleiro (Johnny Depp), Bayard, o cão (voz de Timothy Spall) e a doce Rainha Branca (Anne Hathaway – encantadora), irmã da Rainha Vermelha. O único problema é que Alice não se lembra de ter estado lá antes, e os habitantes do Mundo Subterrâneo duvidam da identidade de Alice, questionando se ela é a “Alice certa”.

A direção de Tim Burton é econômica no filme. Aqui pouco se nota as bizarrices típicas do diretor, no roteiro escrito por Linda Woolverton (de A Bela e a Fera, O Rei Leão, Mulan). Algumas marcas da obra de Burton estão lá, como a palidez dos personagens, os cenários expressionistas, e as atuações deliciosamente bizarras de Johnny Depp, Helena Bonham Carter e Crispin Glover, que interpreta o Valete de Copas.

Mia Wasikowska faz um trabalho apenas correto como Alice. O roteiro não ajuda muito ao determinar que TODOS os passos de Alice estão pré-determinados, como se fosse uma profecia, portanto não sobra muito para a atriz fazer uma composição de personagem mais detalhada.  E Johnny Depp surge divertido como o Chapeleiro, mas é sabotado pelo fraco roteiro, que não dá quase função nenhuma para o personagem. A direção de Burton apesar de belíssima no visual e nos detalhes de cena é prejudicada pelo roteiro esquemático, mostrando uma preocupação da Disney em dar uma “freada” no cineasta, que nos presenteou com A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, Batman, Edward Mãos de Tesoura e Os Fantasmas se Divertem.

Alice no País das Maravilhas pode não ser uma maravilha (tu-dum-tiss), mas está bem longe de ser um filme ruim. Apesar do roteiro marromeno é um filme que prende a atenção e certamente agradará tanto adultos como crianças. E convenhamos, essa  sempre foi a meta da Disney. O que estragou mesmo foi todo o hype gerado pelos nomes Tim Burton e Johnny Depp.  Ganha facinho uma nota 8.

GuValente quer saber o que um corvo e uma escrivaninha tem em comum.

Sphere Grid Lv. 4

[Anime Sphere] Claymore

Em um mundo medieval fictício, humanos coexistem com criaturas denominadas Youma, seres que se alimentam de vísceras humanas. Absorvendo toda sua memória e personalidade, os Youmas são capazes de se disfarçar facilmente, sem levantar suspeitas.

Neste mundo, uma organização sem nome e ultra secreta se levanta contra essas criaturas, criando guerreiras modificadas (metade humano, metade Youma), conhecidos por Claymores.

O anime é composto por 26 episódios, cheio de monstros, sangue e drama. O manga ainda está em publicação no Japão, mas de inicio é a mesma história do anime.

Claymore Opening (Raison D’être, Nightmare)

[Movie Sphere] A Noiva Cadáver

Filme de animação em stop-motion, lançado em 2005 e dirigido por Tim Burton, conta a história do casal Finnis e Maudeline Everglot, uma família de aristocratas recentemente falidos, que entregou sua única filha, Victoria Everglot, ao tímido e desajeitado Victor Van Dort, filho do único casal rico da cidade, William e Nell Van Dort.

Por Victor ser incrivelmente desastrado na simulação de seu casamento com Victoria, ele se vê oficialmente proibido de se casar até recitar seus votos perfeitamente.

Ao rondar pela floresta sozinho, ele pratica suas falas de casamento enquanto coloca a aliança em um galho, que na verdade é uma mão da Noiva Cadáver, Emily, que o leva para o sub-mundo para se casar com ele… e é ai, que começa uma história de amor, tragédia, comédia e muita música.

Características do Filme:

  • Título original: Corpse Bride
  • Diretor: Tim Burton
  • Elenco (Vozes): Johnny Deep (Victor Van Dort), Helena Bonham Carter (Emily), Emily Watson (Victoria Everglot).
  • Gênero: Animação
  • Duração: 78 min.
  • Ano: 2005
  • Data da Estreia: 16/09/2005

Site Oficial

[Music Sphere] Austrian Death Machine

Era um sábado de noite, e chovia… muito! Quando de repente, meu primo me surpreende com uma banda um tanto quanto… trash. Vi um vídeo deles e pensei: por que não levar isso ao Sphere Grid, já que, envolve duas coisas muito “dumau”: Metal e Arnold Schwarzenegger?

Isso mesmo. Austrian Death Machine é um projeto de trash metal fundada na California pelo vocalista Tim Lambesis, da banda As I Lay Dying, no qual faz o tributo ao termina… digo, “governator”, Titio Arnold!

O primeiro disco da banda, Total Brutal (22 de julho de 2008), faz referencias as principais falas do ator, como “I Am a Cybernetic Organism, Living Tissue Over (Metal) Endoskeleton” do filme Terminator 2: Judgment Day e “Who Is Your Daddy, And What Does He Do?” do filme Um Tira no Jardim de Infância.

Se você, assim como eu, é também um fã dessa incrível máquina de destruição em massa, come with me if you want to leave.

Letras:

  1. Hello California – 1:25
  2. Get to the Choppa – 2:47 (Predator)
  3. Rubber Baby Buggy Bumpers – 2:23 (Last Action Hero)
  4. All of the Songs Sound the Same – 0:13
  5. I Am a Cybernetic Organism, Living Tissue Over (Metal) Endoskeleton – 3:34 (Terminator 2: Judgment Day)
  6. Come with Me If You Want to Live – 3:46 (Terminator 2: Judgment Day)
  7. What It’s Like to Be a Singer at Band Practice – 1:18
  8. Who Is Your Daddy, And What Does He Do? – 3:11 (Kindergarten Cop)
  9. You Have Just Been Erased – 2:21 (Eraser)
  10. Broo-Tall Song Idea – 0:39
  11. Here Is Subzero, Now Plain Zero – 3:08 (The Running Man)
  12. So Far, So Good, So Let’s Talk About It – 0:42
  13. Screw You (Benny) – 2:49 (Total Recall)
  14. Why? – 0:25
  15. If It Bleeds, We Can Kill It – 3:43 (Predator)
  16. It’s Not a Tumor – 3:16 (Kindergarten Cop)
  17. Not So Hidden Track – 2:49

Vídeo Got To The Choppa.

[Game Sphere] Fable

Desenvolvido pela Big Blue Box e publicado pela Microsoft Game Studios, Fable é um jogo de RPG que foi lançado em 2004 para PC, Mac OS e Xbox. Conta a história de um garoto que perde sua família em um massacre na vila em que morava, e sonha em ser um herói.

A principal característica desse game é a forma inovadora do jogador poder controlar as atitudes do garoto, sendo elas boas ou más. Afetando sua percepção e reação dos habitantes do mundo fictício, mudando assim a aparência do herói. Se ele for uma boa pessoal, sua aparência é de um ser angelical; se for mau, seu aspecto fica como a de um demônio, com chifres e uma aura escura.

Uma expansão do jogo foi lançada em 2005 para PC e Xbox, chamada Fable: The Lost Chapters, que contém mais armas, itens, armaduras, cidades, prédios. A história ganha um novo roteiro com 9 mapas e 16 missões adicionais.

Foi bastante aclamado por ótimos gráficos e sua incrível jogabilidade.

Site Oficial do jogo

Kell devora o livro A Batalha do Apocalipse!