Archive for outubro, 2010


“Eu já tenho seu temor. Agora, vou conquistar seu respeito.”

Sempre que pensamos em um Orc, lembramos das criaturas horríveis que a sequencia de filmes Senhor dos Anéis nos mostrou como os Uruk-hai – detentores neutros que se vendiam por ouro de um velho rei ou de um governante, e sempre retratados como aliados ao mal. Mas nunca paramos para analisar como seria a vida deles em sua própria sociedade. É com isso em mente que o respeitado autor Stan Nicholls escreveu a trilogia Orcs, e seu primeiro exemplar saiu este ano pela Panini Books.

Com sucesso crescente, Orcs – Guardiões do Relâmpago vendeu mais de um milhão de cópias por todo o mundo, incluindo Inglaterra, Estados Unidos, Holanda, China, Rússia. E a frase inicial deste post, foi o que mais me chamou atenção para começar a ler, até porque existe uma saturação de heróis bonzinhos e que sempre resgatam a vítima. E depois deste primeiro final do livro, tenho a certeza que terei a trilogia na prateleira de casa. Um aviso aos navegantes, Guardiões não é uma história fechada, está mais para um digno começo de enredo, que eu espero (e muito) não reclamar do final da trilogia – que me lembrou em muito Senhor dos Anéis novamente. Temos todo um arco de história, um ambiente desenvolvido, mas ao longo do livro percebemos que muito ainda está por vir, até porque muitas respostas ficaram pelas páginas.

História: Saídos do terror da ficção medieval antiga para serem os protagonistas de uma conspiração universal, o grupo de guerreiros ‘search&destroy’ mais conhecidos como Lobos Cinzentos – liderados pelo capitão Stryke – está em uma misteriosa missão para sua rainha Jennesta: resgatar um cilindro de cor cobre e de símbolos rúnicos estampados, que ninguém sabe de onde veio e nem para que serve (quando sabemos se transforma no clímax do livro!). Como se não bastasse, a parte sul do mundo em que vivem, Maras-Dantia, está sendo dominada pelas raças brancas, também conhecidos como Humanos, que baseados na religião católica, partem por Maras combatendo as ‘forças malignas’ em uma espécie de Cruzada. Ao norte do continente, a Grande Geleira está invadindo o mundo, trazendo a todos uma época mortal sem precedentes.

Aos poucos, vamos descobrindo o que representa o tal artefato para a Rainha Jennesta, que importânca tem ele no mundo em que os Orcs vivem, e porque as guerras entre tribos de raças estão acontecendo. No meio de tudo isso, um personagem em especial me chamou a atenção: um xamã goblin. Ele é o ponto-chave da história, o elo que representa o pequeno fragmento de história do começo do livro para a continuação até seu final. Com poucas palavras e uma grande explicação, somos jogados para o mundo criado por Stan, caímos de cabeça e a partir daí não tem mais volta.

O que mais me surpreendeu neste livro foi em pensar como um Orc e não como um ser-humano comum. Acompanhar a jornada de Stryke e sua equipe de guerra por Maras-Dantia é fantástico, até porque em Orcs, eles não são aliados do mal, mas matam humanos assim como conhecemos nas histórias. O diferencial é que neste livro há várias respostas para isso, não é pura e simples diversão.

E quando pensamos que a jornada principal está sendo cumprida, recebemos um golpe de mestre (com o perdão do trocadilho!) que mostra a verdadeira intenção do livro: “restaurar a paz há muito tempo perdida e salvar seu povo dos asquerosos humanos” – relaxem que isso está descrito na contra-capa do livro, então sem spoilers. ;D

Infelizmente, apenas Guardiões do Relâmpago saiu no Brasil até o momento deste post, mas espero que a Panini Books continue a trilogia de Stan Nicholls. Seria uma pena disperdiçar uma ótima e fantástica história assim, até porque é raro inverter o papel e enfrentar humanos, pois ‘as lanças dos Lobos Cinzentos os espetarão como porcos nojentos. E mais ricos e mais gordos os orcs terão boa sorte!’ [trecho retirado da canção de marcha tradicional dos bandos de guerra]. Nota 9 para o começo fantástico, veremos até quando!

Leo Luz prefere enfrentar um Orc armado do que 10 kobols sujos.

Anúncios

Olá olá olá!!!

Quarta-feira no clima! De verão misturado com inverno com cara de outuno. Esse é o Brasil que conhecemos. Brasil também que faz parte do Monopoly que o Action Nerds tem em casa. Aproveitando para fazer mais uma tirinha sobre o tabuleiro mais jogado do mundo. Simples, prático e divertido de jogar. Mas vamos para a tirinha!.

Nota: O e-mail: action.nerds@gmail.com está a disposição para vocês nos mandarem dúvidas, sugestões, dicas e também tirinhas. Tem bonecos em casa? Tire fotos, escreva sua ideia no e-mail e mande para cá, que nós iremos publicar. Não tem bonecos, mas tem uma ideia bacana, mande também.


Leo Luz queria ganhar o Monopoly Star Trek neste Natal. xD

Game News [18/10 a 24/10]

Olá pessoas! Depois de uma semana muito agitada e com direito a muitas novidades na BlizzCon2010, vamos a mais um Game News, feito pra você, aquele nerd preguiçoso, que joga o dia inteiro e não tem saco pra ver notícias o tempo todo. Ou então, não tem tempo mesmo, como eu! Boa semana a todos! Abs.

17 movimentos para o Kinect

A Microsoft revelou a lista com os 17 títulos que serão lançados simultaneamente com o acessório de movimentos Kinect, previsto para o dia 4 de novembro nos Estados Unidos. O Kinect será vendido junto com um pacote com o Xbox 360 e o jogo “Kinect Adventures” pelo preço de US$ 299,99, ou apenas o acessório com o jogo pelo valor de US$ 149,99.

Confira a lista dos 17 jogos e seus valores abaixo:
. “Kinect Adventures” (incluso no Kinect) –
. “Kinectimals” – US$49,99 (edição especial US$59,99)
. “Game Party: In Motion” – US$39,99
. “Harry Potter and the Deathly Hallows Part 1 The Videogame” – US$49,99
. “Your Shape: Fitness Evolved” – US$49,99
. “Dance Central” – US$49,99
. “The Biggest Loser Ultimate Workout” – US$49,99
. “DanceMasters” – US$49,99
. “EA Sports Active 2” – US$99,99
. “Zumba Fitness” – US$49,99
. “Kinect Sports” – US$49,99
. “MotionSports” – US$49,99
. “Deca Sports Freedom” – preço a ser anunciado
. “Kinect Joy Ride” – US$49,99
. “Adrenalin Misfits” – US$49,99
. “Fighters Uncaged” – US$49,99
. “Sonic Free Rider” – US$49,99

Criador de Braid estará no SBGamesTell

Jonathan Blow, criador do cultuado Braid, game de aventura que envolve manipulação do tempo, será o principal palestrante do SBGames 2010, evento mais importante de pesquisa e desenvolvimento na área de jogos de computador e entretenimento digital da América Latina, que acontece entre 8 e 10 de novembro em Florianópolis (SC). Entre outros participantes figuram também Tarqüínio Teles, presidente da Hoplon Infotainment, do game online “Taikodom: Living Universe”, e também Bruno Matzdorf, da Sony. Confira no site a programação completa do evento: SBGames 2010

“De Volta para o Futuro”: blu-ray traz código para game

Segundo informações do site Joystiq, os jogadores que comprarem o pacote de Blu-ray com a trilogia dos filmes Back to the Future irão receber um código que permite baixar o primeiro episódio do adventure da Telltale gratuitamente. No pacote há uma URL para inserir o código 121GIGAWATTS e aproveitar o download. A empresa disse em nota oficial: “na URL do encarte, as pessoas poderão se inscrever para o episódio gratuito e receber notificação da Telltale Games, quando ele estiver disponível.”

Não se sabe ainda se essa promoção será limitada aos Estados Unidos ou estará disponível em outros territórios. O jogo baseado no filme clássico conta com a dublagem do ator Christopher Lloyd (doutor Emmet Brown), e além dele, outro nome é o de Bob Gale, roteirista da mesma trilogia,  que trabalha com a Telltale para escrever a história do jogo, prevista para ter cinco episódios. Os jogos devem ser lançados no verão de 2010 e o box com os três filmes chega às lojas em versão remasterizada no dia 26 de outubro, comemorando os 25 anos de lançamento do primeiro longa nos cinemas.

Diablo III: quinta classe é revelada

Como avisamos no começo do texto, acontece nos Estados Unidos a edição 2010 da BlizzCon – evento fechado da gigante Blizzard – que logo de cara, na primeira grande noite, apresentou para os fãs com exclusividade o painel sobre Diablo III. O alvoroço todo está sendo pela revelação da quinta e última classe: Demon Hunter, uma classe híbrida de demônios e humano, que pode manipular duas bestas ao mesmo tempo, com foco em ataques de longa distância. Além disso, a classe contará com armadilhas e Shadow Magic, algo parecido com a maneira da Assassina de Diablo II. Mas chega de blábláblá. Confira três (melhores) vídeos do Demon Hunter!

Apresentação

Bola Shot

Fan of Knives

Kell descobriu a segunda classe mais foda de Diablo, depois do Paladino.

Escolher a classe de um personagem é dar corpo e alma para seu jogo, fazendo o essencial para construir aspectos, histórias e até mesmo, determinar armaduras e armas para se utilizar. Essas características já foram pre-determinadas com a escolha de uma das raças (aqui), que irão levar os participantes para as oito novas classes determinadas neste Livro do Jogador 2 (aqui). Hoje, para não se estender mais do que o necessário, iremos apresentar 4 e na próxima semana, outras quatro. Confiram e aproveitem!

Bárbaro Talvez nem seja preciso definir um bárbaro, já que todos sabem que eles combinam poderosos combates corpo a corpo com excelente habilidade de regeneração, mas como minha Força de Vontade fala mais alto nessas horas… Bárbaros raramente sentem a dor de um golpe sofrido. Cada rajada é um estímulo para a luta, seja pela força ou, no caso deste livro, pela convocação da Fera Primitiva, que lhe concede um estado de fúria e poderes, digamos, selvagens. Na medida que sua experiência aumenta, o bárbaro transforma sua fúria mortal em uma manifestação, lhe dando ondas de poder elemental tanto para ataque quanto para defesa.

Característica de classe: todo bárbaro possui uma Agilidade (isso se não estiver com armadura pesada), uma Arremetida contra os inimigos por rodada, um Golpe de Fúria acompanhada de uma explosão de energia e o Poder Ferino, quando se conecta diretamente ao mundo natural e libera uma escolha de poder: Triunfo do Nobre Nato (rugido) ou Vigor da Fúria Sangrenta (berseker).

Bardo – Uma nota soa como uma melodia, sua voz impactante percorre o espaço e uma lâmina rasga a carne inimiga enquanto um verso é formado, esse é o Bardo, um líder inspirador para o grupo, ou então, um controlador mágico capaz de compor maravilhosas canções durante uma guerra. Bardos são praticantes de magia arcana, mestres das magias de encanto e ilusão, e especialistas nas artes, dotados de conhecimento. Eles podem tanto controlar magias por varinhas quanto por objetos mágicos, como lâminas da canção ou instrumentos musicais encantados, estes últimos, mais valorizados por um habilidoso personagem. Dizem que os melhores bardos são os meio-elfos por receberem bônus nos atributos da ficha, mas fica só na dica!

Característica de classe: instrumentos e palavras são seus pontos principais, logo, a Canção do Descanso reanima um grupo após a batalha, recuperando seus pontos de vida. Bardos tem Multiclasse Versátil para escolher qualquer talento, uma Palavra Majestosa e uma Palavra de Amizade para acalentar os corações, assim como a Virtude de Bardo que qualifica sua Bravura ou sua Astúcia ao máximo.

Druida – Caminhar livremente pelas florestas, conversar com as árvores, observar as matilhas e organizar as áreas selvagens para o bem estar natural, tais atividades são pequenos passatempos que os Druidas adoram fazer nos tempos livres, como se entrassem em sintonia com a Fera Primitiva de cada protegido seu. Quando está participando de batalhas e disputas de poder, o até então calmo Druida busca nos irmãos naturais poderes que o transforme na verdadeira Fera Espiritual: livre e indomável. Druidas sempre têm em mãos seus cajados (ou totêns) para canalizar energia e criar ataques poderosos e destrutíveis à longa distância, quando não lutam diretamente na forma animal – seja uma lembrança de um predador (urso, pantera, lobo), seja a verdadeira Fera Primitiva.

Característica de classe: Druidas possuem o Aspecto Primitivo como principal poder espiritual, como Guardião ou Predador. Sua Conjuração Ritual é acompanhada por um livro/diário, o Equilíbrio da Natureza busca a mente conjunta do animal e do humanóide para que a Forma Selvagem tenha plena força de vontade e energia para se manifestar.

Feiticeiro – A magia pulsa dentro do corpo de um feiticeiro, implorando para ser lançada para fora, conforme fica mais forte e poderosa. Ao contrário dos magos, os Feiticeiros não leem tomos, nem livros para adquirir os conhecimentos arcanos, eles sentem a presença da magia nas mãos e personificam em explosões ou rajadas mortíferas no oponente. Com o uso de adagas mágicas ou cajados próprios , os Feiticeiros aprimoram os poderes selvagens e recebm bônus de melhoria nestes instrumentos. Muitos feiticeiros arcanos são descendentes de draconatos ou foram banhados, quando bebês, em sangue dracônico.

Característica de classe: sua história tem tremenda ligação com suas características, então o feiticeiro pode escolher duas conexões distintas: Magia Dracônica ou Magia Selvagem. A primeira apresenta o poder elemental dos dragões com a Alma Dracônica como poder principal, Escamas do Dragão (aumento na CA), Poder Dracônico (bônus em Força) e Resiliência Dracônica. A segunda busca no Caos Elemental suas forças, com Explosão Caótica (jogada de ataque), Poder Caótico (bônus para Destreza) e Poder Irrestrito (em casos de Double com dados).

Equipe Action Nerds derrota o inimigo, resgata o tesouro e deixa a princesa no castelo.

 

Salve salve pessoas!!

Depois de uma semana cortada pelo feriado – e que feriado – voltamos a programação normal. O Dia das Crianças já passou, mas para comemorar a data, a Hasbro Brasil enviou inteiramente pelos Correios exemplares de Monopoly Brasil e Monopoly City! para divertir a redação do Action Nerds.

A divulgação de Monopoly já começa agora com a tirinha desta quarta-feira e, na próxima semana, teremos o review do jogo de tabuleiro mais famoso em todo o mundo. Simples, prático e divertido de jogar. Reunimos parte da trupe do AN com amigos e passamos 3 horas e meia para terminar Monopoly Brasil.

Nota: O e-mail: action.nerds@gmail.com está a disposição para vocês nos mandarem dúvidas, sugestões, dicas e também tirinhas. Tem bonecos em casa? Tire fotos, escreva sua ideia no e-mail e mande para cá, que nós iremos publicar. Não tem bonecos, mas tem uma ideia bacana, mande também.

Leo Luz aprendeu o quanto é ruim vender todos os aeroportos.

Game News [10/10 a 17/10]

Jogadores poderão usar Kinect sentados

Desenvolvedores do estúdio Blitz Games (de jogos como Fuzion Frenzy e Karaoke Revolution) afirmaram que o Kinect teve uma atualização de programa pra resolver os problemas de detecção de movimentos de jogadores sentados. Andrew Oliver, diretor técnico da Blitz, explicou que o Kinect agora detecta o limite do pescoço como primeiro ponto de detecção do jogador.

Antes da atualização da Microsoft, o dispositivo foi configurado para pegar a parte superior do tronco como o ponto base de detecção. O sensor de movimentos que chegou aos desenvolvedores apresentou numerosos problemas com jogadores sentados. A Microsoft, por outro lado, assegura que diversas produtoras já criaram experiências tendo em mente tais gamers.

Mew é ‘novidade’ em remakes de Pokémon Gold e Silver

As versões americanas de Pokémon Gold e Silver chegaram às lojas americanas em 14 de outubro de 2000. Para celebrar o aniversário de dez anos de lançamento dos jogos, a Nintendo está distribuindo o pokémon lendário Mew para aqueles que têm as novas versões repaginadas Pokémon HeartGold e SoulSilver.

Até 30 de outubro, os jogadores, inclusive os brasileiros, podem receber o presente conectando-se à rede Nintendo WiFi e escolhendo a opção Mystery Gift. Após fazer isso, basta passar em algum PokéMart para pegar o pokémon, que vem no nível 5 e com um Premier Ribbon. A primeira aparição de Mew foi em Pokémon Red e Blue, lançados originalmente para o clássico Game Boy.

Extras de “Red Dead” serão lançados em disco

Na próxima semana, o pacote de expansão de Red Dead Redemption chega nas redes online do PlayStation 3 e do Xbox 360. Entretanto, o terror dos zumbis de Undead Nightmare poderá ser aproveitado por aqueles que não possuem o jogo, pois a Rockstar confirma no blog oficial que o conteúdo será lançado em disco (ao preço de U$ 30). “O disco de Undead Nightmare não necessita do jogo original e acompanhará todos os extras já lançados até o momento para ‘Red Dead’, incluindo os novos modos multiplayer de ‘Outlaws to the End‘, ‘Legends and Killers‘ e ‘Liars and Cheats‘”.

Dota 2 sairá em 2011 para PC e Mac

A Valve anunciou a produção de Dota 2, sequência do popular ‘mod’ de Warcraft III conhecido como Defense of the Ancients (“DotA”) para PC e Mac. O lançamento está previsto para 2011 e a promessa é de expandir todos os elementos que fizeram do jogo original um sucesso. Dota 2 conta com o motor gráfico Source da Valve – o mesmo de Team Fortress 2 – mantendo o visual cartunesco do anterior com algumas melhorias, além de apresentar um robusto trabalho de vozes personalizadas. Assim como o antecessor, o jogo traz uma mistura dos gêneros de estratégia em tempo real online com elementos de RPG de ação – e um elenco de mais de 100 heróis, com objetivo de destruir a base inimiga controlando apenas um personagem dentro do game.

Produtora de jogos para Zeebo abre vaga de estágio

A Zeebo Interactive Studios, principal desenvolvedor de jogos para o videogame Zeebo, está contratando estagiário para trabalhar na área de Garantia da Qualidade. Segundo a descrição da vaga, o candidato deve morar na cidade de Campinas/SP e ser apaixonado por videogames, pois será responsável por encontrar possíveis erros de programação e ajudar no desenvolvimento dos jogos. Além disso, o candidato deve ser estudante universitário e ter fluência em português e inglês. Ser fluente em espanhol conta como um bom diferencial.

Entre os benefícios, a vaga prevê ajuda de custos em transporte, alimentação, estacionamento, além de subsídio para academias ou prática esportiva e cursos para outros idiomas. Segundo a descrição no site oficial, trata-se de “um dos ambientes de trabalho mais divertidos que você irá encontrar”. Os interessados devem enviar currículo para o email da produtora. Mais informações podem ser conferidas no site oficial.

Nvidia foca 3D estereoscópico

A fabricante de placas gráficas Nvidia anunciou o lançamento da GeForce GT 430, nova unidade de sua linha de processadores gráficos Fermi, que possui a novidade: 3D estereoscópico. A placa gráfica prevê maior integração do PC com as mais atuais tecnologias em três dimensões para jogos e filmes em Blu-ray. Entre as novidades previstas para jogos, a Nvidia promete performance em jogos até 1,5 vezes superior aos produtos das gerações anteriores e suporte para DirectX 11.

A nova GeForce é fabricada com a placa de processamento gráfico GF108, a mais recente GPU de 40nm fabricada pela empresa, que sofre menos com superaquecimento do que as anteriores e já está incluída em diversas plataformas para notebooks e desktops. Confira abaixo os principais recursos da nova GeForce GT 430, segundo a fabricante:

· Suporte a HDMI 1.4a, um padrão de TV para conteúdo 3D e áudio digital multicanal avançado.

· Mecanismo de vídeo especial para acelerar conteúdo Blu-ray 3D, oferecendo ótimo visual 3D em resolução total 1080p.

· Alta definição de áudio multicanal de 24 bits até 192KHz, e bit streaming de áudio DTS-HD Master Audio e Dolby TrueHD sem perda.

· Mecanismo de processamento de vídeo dedicado para menor consumo de potência e aquecimento do sistema.

· Suporte à tecnologia NVIDIA PhysX®.

Kell está jogando Assassin’s Creed no PC. Precisa urgente de um PS3.

[Quadrinhos] Coringa

Quando alguém cita a palavra Batman, a primeira HQ que me veem a mente é O Cavaleiro das Trevas. Sua narração detalhista e os traços firmes de Frank Miller deixaram o morcego com uma história mais do que realista, uma história a ser seguida por todos. Mas e quando a insanidade atinge o outro lado e nos deparamos com o Coringa? O que pensar dele? Ele é mesmo um lunático ou apenas é mal entendido pela sociedade de Gotham?

No último Natal, quando abri o presente da Kell, me deparei com um sorriso vermelho, dentes amarelos e uma pele branca me encarando em uma HQ de capa dura, intitulada Coringa. Já tinha ouvido falar nesta HQ e visto algumas artes conceituais, mas nunca tinha pensado em comprar, e quando tinha em mãos olhei a parte de trás, que dizia: ‘…o Coringa estava sendo liberado do Asilo Arkham’. E meus olhos brilharam.

História – somos apresentados a Jonny Frost e sua (simples) missão: esperar o Palhaço do Crime do lado de fora do asilo. Por alguma razão, os médicos tinham encontrado uma cura para sua doença e decidiram que os dias de sol quadrado não o faziam bem. Jonny é ‘escolhido’ para ir buscá-lo e começar uma vida como capanga do maior vilão dos quadrinhos – pelo menos o mais sem noção. Enquanto isso, o Coringa quer apenas recuperar seu status de criminoso entre o submundo do Gotham e conta com a ajuda de alguns velhos conhecidos do público do morcego para isso.

Com uma equipe de premiados, Coringa é um exemplo de história bem contada associada a mais perfeita arte produzida. Brian Azzarello cuida com carinho do roteiro, mostrando um Palhaço insano, demente e muito parecido com o mesmo de Heath Ledger, no filme The Dark Knight. Lee Bermejo ultrapassa os limites criando pinturas ao invés de quadrinhos, me lembrando muito Alex Ross, dando ao roteiro um realismo incrível, assim como os altos níveis de nanquim preto para fazer os detalhes. Sem contar a ótima tradução de Fabiano Denardin e Rodrigo Barros (sem aportuguesar nada), com letramentos feitos por Fernando Chakur e Tomás Troppamir – equipe brasileira da Panini Comics.

No fim, podemos dizer que Coringa entra para a seleta lista de histórias do Batman que tentam entender seu universo. Piada Mortal é o grande clássico sobre o Palhaço, mas Coringa é uma das veias principais para a mente doentia dele. Falando em doença, a HQ revela, nas últimas páginas, qual a cura para o vilão, em uma história onde o protagonista é um homem comum, que também estava atrás de seu ego pessoal: Jonny Frost.

Leo Luz quer descobrir do que é feito o Padrão.

Nesta segunda parte da review (confira a primeira aqui), vamos abordar o começo de criação dos personagens. Nada melhor do que escolher as Raças para criar um universo de atributos e Antecedências. No primeiro Livro do Jogador, foram apresentadas 8 raças heróicas – também conhecida como “as mais comuns” – e no Livro do Jogador 2 temos duas adaptações e 3 grandes novidades, para você que se importa em jogar cada mesa de RPG de uma maneira diferente.

Da mudanças de raças, o gnomo e o feral foram retirados do Livro dos Monstros e incorporados ao Livro na 4ª edição, até porque são personagens que se aproximam muito da Fera Primitiva. Detalhe que pode ser muito bem explorado por uma classe de Feral, tornando seu jogo mais “sangue no olho”! Além disso, cada raça apresenta trilhas exemplares para guiar o jogador e abusar da boa vontade do mestre (o que é raro!). Ficha pronta, detalhada, dados rolando: 17 – 19 – 18 – 15 – 15 – 17, isso dá para:

Devas “Espíritos imortais, encarnações da virtude”. Devas são os antigos espíritos que caminhavam como servos juntos aos deuses do bem, e reencarnavam em novas formas para combater os males do mundo. Hoje, continuam esse interminável ciclo nas formas da carne, em uma vida mortal. Para o jogador, trilhar um Deva é pertencer às classes de vingador, clérigo, invocador e/ou mago e relembrar fatos e conexões do passado, abraçar o bem e dele combater qualquer força maligna. Mesmo com a aparência humana, um Deva tem uma aura mais celestial e fazem da violência apenas o necessário para acabar com o mal, sem sofrimento ou bestialidade. Por não ter uma região específica, ou uma cidade, os Devas poderiam passar eras sem encontrar outros de mesma raça, vivendo de maneiras simples, porém portando sua armadura de metal polido e ornamentos.

Poder Racial: “Como sonhos, Memórias de Mil Vidas passadas retornam para ajudá-lo”.

Gnomos – Se você alguma vez já foi hostilizado em uma batalha e tentou, da melhor maneira, se esquivar e desaparecer aos olhos malignos, você realmente é um Gnomo por natureza. Sempre ignorada pela sociedade ‘mais alta’, os Gnomos adquiriram a habilidade de se esconder e enganar as pessoas, e isso, lhe dá um privilégio de pertencer às classes de bardo, bruxo, feiticeiro e mago durante as campanhas. Os personagens pequenos seguem as mesmas regras de os Médios, porém se aplicam aos Pequenos que não se pode utilizar armas de duas mãos (espadas largas e alabardas) – e não diz nada sobre espadas NAS duas mãos. Gnomos tem um pensamento ágil e buscam a solução inteligente para qualquer problema, adoram conversar e são apaixonados por músicas, ilusões e história.

Poder Racial: “Você fica invisível em resposta ao perigo” – Desvanecer

Golias – Você vive nas montanhas e gosta disso? Você parte pra cima do adversário com o machado em mãos e um grito de guerra? Você conta os corpos que explodem na sua frente e se gaba disso? Então eu terei medo de você, Golias, com seus três metros de altura, pele escura, acreditando sobre destino e/ou sorte, movido pela paixão de reverenciar o poder primitivo para aprimorar a própria força física. Golias são duros feito pedras e tem o domínio das montanhas e cordilheiras, perfeito para as classes de bárbaro, guardião e guerreiro que adoram as competições e a rivalidade entre si. Golias não temem aventuras e seu estilo de vida os fazem respeitar a própria, exploram o mundo natural como fonte de energia nos poucos xamãs e druidas que existem em cada bando.

Poder Racial: “Os ataques de seus inimigos resvalam em seu corpo pedregoso” – Resistência de Pedra

Meio-orcs – Pergunte sobre suas origens, ou a origem da raça, e leve um soco na cara. Típica selvageria orc em um determinado guerreiro humano, esses são os Meio-orcs, seres que convivem em sociedade, mas não tem a mínima noção de etiqueta. Quando falam, dizem sobre o que pensam e como pensam a respeito, sem esconder suas opiniões. Grande parte dos Meio-Orcs preferem se compor com vestes e armaduras humanas, porém há aqueles que adotam as tradições com ossos nos cabelos e longas tranças. Ser forte, grande e rápido é um orgulho para essa raças – que privilegia as classes de bárbaro, guerreiro, ladino e patrulheiro – e se você é de bater primeiro e perguntar depois, aliste-se à horda e vamos duelar com os braços!

Poder Racial: “Sua ira monstruosa queima dentro de seu corpo, aumentando a força de seu ataque” – Assalto Furioso

Ferais – Observar atentamente, acompanhar a presa e preparar o motim. Caçar e liberar sua natureza animal para vencer o oponente, mas sem perder a consciência da batalha, canalizando o poder primitivo em alguma parte do ataque e viver em sintonia com isso. Ferais não tem a habilidade de se transformar completamente em licantropos, porém adquiriram habilidades suficientes para serem temidos. Pertencem às classes druida, guardião, guerreiro e patrulheiro, sempre preservando e cuidando da sua região, agindo como um predador. Ferais são boas pessoas para se conviver, mas é bom ter cuidado, sua fera selvagem sempre será por perto caso ele discuta com você.

Poder Racial: “Você libera a fera primitiva em se interior e assume um aspecto mais selvagem” – Mutação do Dente-Alongado ou do Garra-Navalha

PS: as características descritas neste post – e/ou no Livro do Jogador 2 – são apenas para ilustrar e preparar o jogador. Não podem ser tomadas como regras rígidas. Divirtam-se!!

Equipe Action Nerds ganhou pontos de XP em Fingir de Morto na última (trágica) aventura.

[Quadrinhos] Eu Sou a Lenda

Em 1954, o autor Richard Matheson lançou um livro que tinha uma simples premissa:  mostrar a rotina do último humano vivo na Terra em um futuro próximo depois que os demais habitantes do planeta sucumbiram à uma praga similar ao vampirismo. Matheson aproveitou a premissa para fazer um fascinante estudo de personagem, no caso aqui, Robert Neville.

O livro Eu Sou a Lenda já foi adaptado três vezes para o Cinema com enfoques diferentes de acordo com a época. Vincent Price viveu Neville nos anos 60, Charlton Heston nos anos 70, e mais recentemente o astro Will Smith deu vida ao personagem no filme lançado em 2007 e dirigido por Francis Lawrence (Constantine). Eu já vi os três filmes e li o livro. Posso afirmar com certeza que o melhor Robert Neville que eu já vi, é aquele que foi ilustrado por Elman Brown e roteirizado por Steve Niles no álbum em quadrinhos lançado pela Editora Devir em julho passado, de mesmo nome.

Apesar de ter sido publicado agora, o álbum foi lançado nos States em 1991 e pouca gente sequer sabe que existe uma adaptação de Eu Sou a Lenda em HQs. Uma pena, pois perdem uma obra prima do terror onde o roteirista Steve Niles consegue criar um clima ainda mais angustiante do que consegue em sua excelente série 30 Dias de Noite, apesar de se manter extremamente fiel ao texto original de Richard Matheson.

A solidão de Neville (desenhado de modo a lembrar levemente o ator Charlton Heston) é retratada com angústia e realismo por Niles e a cada página que passamos com ele, compartilhamos da suas dúvidas, de seus medos, de seus pesadelos, e principalmente de seus quase inexistentes momentos de alegria, como no maravilhoso momento em que Neville vê um lindo cãozinho pela primeira vez desde que a humanidade se tornou uma população de vampiros.

Vale lembrar que os vampiros de Eu Sou a Lenda são cruéis, tem mentalidade primitiva, e só querem saciar sua sede de sangue. Entre os vampiros destaca-se o personagem secundário Ben Cortman, com seus insistentes gritos de “Saia daí, Neville” à frente da casa do protagonista, tornando a vida de Robert cada vez mais desesperadora, não importa o quanto ele ouça música clássica no volume máximo ou faça revestimento acústico. Os vampiros estão lá fora e Neville não tem como fugir.

Apesar de ser uma história em quadrinhos, há poucas falas diretas dos personagens. Quase 90% do texto do livro é dedicado à narração da rotina de Neville, em quadros brancos apenas com o texto, tornando o álbum um tipo interessante de livro-gibi. A arte impactante e monocromática de Elman Brown dá o tom desolado e pessimista da narrativa, cujo final irá deixar o leitor pensativo por um bom tempo antes de fechar o livro-gibi.

Eu Sou a Lenda é a pedida perfeita pra quem gosta de terror angustiante aliado a um bom roteiro e desenhos perfeitos. Nota máxima!

GuValente iria saquear todas as locadoras da cidade se fosse o último sobrevivente da Terra.

Parte 42 – Pior que está, ficou.

Goooood morning!!

Quarta-feira é só alegria; a metade chata da semana já passou e a parte boa é que sexta está chegando. Isso depende para quem trabalha de final de semana – igual eu -, mas ainda sim podemos nos divertir. Fiquem ligados que nesta sexta tem a parte 2 do Livro do Jogador D&D 4ª Edição! E mais reviews sobre jogos, filmes e muito mais!

Nota: O e-mail: action.nerds@gmail.com está a disposição para vocês nos mandarem dúvidas, sugestões, dicas e também tirinhas. Tem bonecos em casa? Tire fotos, escreva sua ideia no e-mail e mande para cá, que nós iremos publicar. Não tem bonecos, mas tem uma ideia bacana, mande também.

Leo Luz acha que Pão e Circo é para os fracos. De cérebro.