Tag Archive: D&D


Action Nerds + Equipe D&D

Salve salve pessoas!!

Esta foi uma semana complicada e gelada para a blog – sem contar a temperatura em São Paulo e no Rio -, mas a chama ainda vive dentro do Action Nerds e os vilões (computadores e rede à internet) serão vencidos, com o tesouro recuperado. Começamos a semana com ótimas notícias para vocês e, nesta sexta-feira, vamos formalizar o encontro de duas vertentes.

Com 6 meses no ar, e já passamos das 10 mil visitas, este blog ganhou um parceiro de nível e habilidade (sim, trocadilhos!): a Equipe D&D, da Devir Livraria está apoiando nossa ideia, e nos unimos para trazer o melhor das novidades em RPG e derivados. Desde segunda, o banner da D&D está presente no canto direito deste blog (também no post do Drugue) e irá ilustrar cada texto envolvendo os projetos da parceria, sejam eles divulgações, resenhas de livros, reviews, etc, para marcar um passo a mais para todos nós. Então, se virem o banner abaixo incluído nos posts é porque temos artigos exclusivos para vocês. ^^

Mais uma vez, o Action Nerds sai na frente da concorrência e abre espaço para outras pessoas apostarem firme em nossos “produtos” para cultura. Claro que não poderíamos deixar de lado os leitores, pois temos que agradecer o apoio e a força que amigos, conhecidos, colaboradores e companheiros de internet (vide blogs e podcasts), nos deram por divulgar e espalhar as ações do AN para o público. À vocês – público – que comparecem em peso e em comentários, visitas, e-mails, nosso MUITO OBRIGADO por gostarem e se divertirem com este blog.

“Este post é o primeiro de uma grande parceria firmada entre a Equipe Action Nerds e a Equipe D&D Brasil, representando a Devir Livraria

Equipe Action Nerds tem o lema de um por todos e todos por um, e Além!

Anúncios

RPG 101.3

Have at you!

Um jogo de RPG tem vários componentes indispensáveis: você vai precisar de dados, vai precisar de mais pessoas pra jogar com você, vai precisar do manual básico de regras – do sistema que foi escolhido – e, principalmente, vai precisar de um Mestre (ou narrador, como preferir). O mestre nada mais é do que um jogador que vai contar a história.

O mestre precisa conhecer o sistema a fundo para poder criar as “aventuras” vividas. Cabe a ele colocar os desafios no nível em que o grupo possa superar, porém, é importante saber dosar: superar não quer dizer fácil demais. Ele deve se preparar para envolver todos os personagens, tentar trabalhar a história de cada um, nos momentos que os jogadores consideram importantes do passado de seus personagens, realmente o sejam na história do jogo. Além disso, cabe ao mestre criar aquele vilão que será a pedra no sapato do grupo,  fazer com que ele seja tão memoravel quanto os personagens dos jogadores.

Se pegarmos tudo isso, teremos apenas a parte de preparação, ou seja, a parte onde o mestre senta com seus livros e apronta a aventura, ou pelo menos, a base para ela. Após essas muitas horas de preparação, algumas horas de stress e talvez algumas horas sem dormir é que chega a derradeira hora: a hora de jogar sua aventura e torcer para os jogadores gostarem. É nessa hora, em que o jogo está correndo, que o mestre precisa envolver o grupo no assunto, fazer com que eles se sintam naquele ambiente e, principalmente, estar preparado para modificar tudo o que estava preparado para o caso do grupo decidir seguir por um caminho totalmente oposto ao que ele tinha determinado na preparação.

E mesmo após todo esse trabalho, mesmo quando da tudo certo, são raras as vezes em que pelo menos um dos jogadores comenta a aventura, diz que ela foi boa ali na mesma hora. O mestre normalmente vai receber o “pagamento” pelo seu esforço durante o jogo se ele também estiver se divertindo (e se não estiver, confie em mim você não nasceu para mestrar) e muito tempo depois quando, em uma roda de conversa, alguém se lembrar da sua aventura e contá-la com empolgação para outros jogadores. Mas uma coisa é certo, nada deixa um mestre mais orgulhoso do que, após um jogo com iniciantes um deles lhe dizer que realmente se sentiu na atmosfera da história, que realmente via o que estava acontecendo, é ai que todo o tempo de preparação vale a pena.

Se você está pensando em se tornar mestre, tenha em mente que não é uma tarefa das mais fáceis, principalmente para os iniciantes, mas o fato de que o jogo está em suas mãos, de que a diversão daqueles jogadores é sua obrigação e que muito provavelmente você será lembrado durante um longo tempo por aquelas horas de jogo. Com certeza, vale cada hora perdida na prepação da aventura e, lógico, em cada pastilha para dor de garganta que você irá usar após mestrar em um evento barulhento.

Drugue tem muito orgulho de ser mestre a 7 anos!

coluna RPG 101

“Have at you!”

Produção? Música de estréia por favor. Ah! Agora sim! Sejam bem vindos ao maravilhoso mundo do RPG e dos jogos de mesa. Nessa coluna que estreia hoje, pretendo trazer para vocês um pouco das emoções de reunir os amigos em volta de uma mesa para jogar um bom jogo. Alem disso, espere encontrar por aqui tudo o que você precisa para que, mesmo não conhecendo nada desse mundo, posso jogar em alguma mesa, ou até mesmo comprar seus livros/jogos e montar a sua mesa com os amigos.

E nada melhor para uma estréia do que mostrar um pouco de cada uma das áreas que serão abordadas por aqui:

War games ou Jogos de Guerra: É uma modalidade de jogo de tabuleiro em que dois jogadores (ou times de mais jogadores) controlam exércitos para criar uma verdadeira guerra. Nesses jogos são usados dados, marcadores, miniaturas e principalmente um grande mapa onde a batalha irá ocorrer. A grande atração desses jogos é o fato de que a tática e a estratégia são os atributos mais importantes.

Normalmente duram horas e só se tem o resultado do combate realmente no final; é impressionante a quantidade de vezes que um pequeno erro leva o lado que aparentemente está vencendo para o fim da tabela. São exemplos desse tipo de jogo o famoso War, o novo Risk, Axis and Allies e até mesmo de uma maneira mais geral: os jogos de miniaturas.

Miniature game ou Jogo de Miniaturas: É uma modalidade de jogo de tabuleiro bem parecida com os Wargames, porém os miniature games tem sempre o grande atrativo de ter as miniaturas. Pode parece pouca coisa, mas o fato de ter uma representação visual de seu exército acaba dando um ânimo a mais para os jogos. Não importa se elas são representações de figuras mitológicas, a figuras clássicas de algum jogo famoso (como o D&D ou Warcraft), figuras de algum filme (como Star Wars) ou figuras de guerra realmente (algumas inclusive com escala e pintura extremamente fiéis as usadas pelos soldados nas guerras), o que realmente faz a diferença é ver e tocar a peça que representa seu exército e poder ver a diferença entre dois soldados ou ainda duas companhias diferentes. São exemplos desse tipo de jogo o D&D Miniatures game, Warcraft Miniatures, Star Wars Minitures, Crimson Skies e Horrorclix.

TCG/CCG (Trading Card Game/Collectibles Card Games) ou Jogo de Cartas Colecionáveis: São jogos de estratégia em que os jogadores utilizam baralhos para duelar. Um ótimo exemplo para começar já fazendo certas pessoas entenderem é Yu-gi-oh! Para quem assistiu o anime, o TCG nada mais é do que aquilo. Você decide qual TCG mais te agrada, aprende o set de regras dele e começa a desenvolver uma estratégia e um baralho que seja bom contra todos os outros.

Normalmente são jogos que estão em constante renovação, sempre que coleções novas são lançadas, novas regras e cartas são adicionadas e em alguns casos, coleções antigas são retiradas do formato competitivo (formato utilizado nos torneios oficiais). São exemplos desse tipo de jogo o próprio Yu-gi-oh!, Magic The Gathering, World of Warcraft TCG, Dual Masters e Magi Nation.

Drugue quer e muito o TCG Mytos y Leyendas. Alguem sabe onde vende?